Pastoral

O AZEITE DA VIÚVA

Ano 11 – Nº 563 – 16 de AGOSTO de 1998

” Vai, vende o azeite, e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto.” 2 Rs.4:7

Deus é o refúgio do Seu povo na hora da angústia, do sofrimento e das necessidades em geral, sejam elas essenciais ou não. O socorro divino nem sempre traz o aspecto de um milagre. Geralmente o socorro de Deus vem mediante o serviço de algum dos Seus servos ou de Suas servas. Vem ainda como resposta à oração e ao clamor de Seus filhos.

VAMOS PENSAR UM POUCO NA MULHER a que se refere o texto de II Reis, 4. Era uma mulher piedosa (v.1) esposa de um servo de Deus. Era uma mulher provada em sua fé e experiência (v.1), pois o texto diz que ela era viúva e com dívidas deixadas por seu falecido marido. Era uma mulher pobre, porque não tinha condições para pagar a dívida. Dever não é pecado nem mau; o problema, o que é mau, é não pagar e nem dar satisfação ao credor, ou até mesmo ao fiador ou avalista. Com todos esses problemas, a mulher era temente a Deus. Ela agiu certo ao procurar o profeta Eliseu, um Homem de Deus, para ajudá-la. Creio que em todas essas características apresentadas, somos muito semelhantes a essa mulher.

PENSEMOS UM POUCO NO PROFETA ELISEU que andava tão perto de Deus que podia ser o canal da benção divina e da solução para os problemas que aquela viúva estava enfrentando. Ele ganhou a confiança da mulher, pois foi procurado por ela. Ele entendeu que Deus se serve do que temos para realizar Seus milagres ou derramar bençãos na vida dos semelhantes. Aquele garoto que estava no meio da multidão, que ouvia a Jesus, colocou os pães e os peixes que possuía nas mãos de Jesus, e o Senhor realizou o milagre da multiplicação, suficiente para alimentar uma multidão calculada em 20 mil pessoas entre homens, mulheres e crianças, pois o texto fala de 5000 homens.

PENSEMOS NO MILAGRE. Há vários tipos de milagre. Milagre é toda ação de Deus que altera a natureza para a sua realização. A participação da mulher era providenciar muitas vasilhas vazias e limpas. Será que o nosso coração está disponível para receber tudo quanto Deus tem para nós e quer nos dar? Às vezes temos que fazer algo que esteja ao nosso alcance para receber o que Deus tem para nos dar.

A mulher devia FECHAR A PORTA e ficar só com seus filhos. Era trabalho só para sua família. Não poderia ter a influência de ninguém de fora. Jesus nos ensinou que deveríamos agir assim também em relação à oração: “… e tu quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta, ora ao teu Pai em secreto e Ele …”. Nem sempre as maiores ou principais bençãos de Deus em nossa vida acontecem no meio de multidão. É no particular, na intimidade.

Ela foi ajudada pelos filhos. É bênção a gente poder contar com a participação dos filhos em nosso ministério, em nossa vida, no orçamento doméstico. A participação dos filhos na obra é a resposta às orações e à orientação dos pais. O milagre, além de resolver o problema da dívida, deu condições para sua sobrevivência. Às vezes Deus quer nos dar bênçãos duradouras e nós queremos as temporárias. Por que será?

FINALIZANDO, irmão, irmã, Você tem sido provado/a? Tem sido temente a Deus? Tem buscado no Senhor a solução de seus problemas? Deus é o mesmo dos tempos da viúva e do profeta Eliseu. Que Deus o / a abençoe cada vez mais.

Pastor Ageo Silva