APRENDENDO COM GIDEÃO

O FAROL nº 1.124 – De 17 a 23 de maio de 2009

“Com a força que você tem, vá libertar Israel das mãos de Midiã. Não sou eu quem o está enviando?” (Juízes 6.14)

O contexto mostra o povo de Israel subjugado pelos midianitas. Não há colheitas. A terra é saqueada a todo o momento. O povo clama e Deus movimenta-se para resgatá-los.

Do texto referente à história de Gideão, podemos aprender alguns princípios para nossa reflexão:

1) DEUS VÊ EM NÓS AS NOSSAS POSSIBILIDADES E NÃO AS APARÊNCIAS:

“O Senhor está com você, poderoso guerreiro” (Juízes 6.12). No vers. 14, Deus diz: “Com a força que você tem, vá libertar Israel das mãos de Midiã. Não sou eu quem o está enviando?”.

Deus não olhou para um rapaz, menor de sua família, que era a menor de sua tribo, escondido, amedrontado. Mas viu alguém com iniciativa para malhar o trigo, para prover alimento. Que se escondia do inimigo para a provisão de sua família. E o chama de “poderoso guerreiro”.

2) DEUS OUVE NOSSOS ARGUMENTOS  E  NOS  COMPREENDE:

Vers. 13: “Se o Senhor está conosco, por que aconteceu tudo isto? Onde estão todas as suas maravilhas que os nossos pais nos contam quando dizem não foi o Senhor que nos tirou do Egito? Mas agora o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos de Midiã”. Vers. 15: “como posso libertar Israel? Meu clã é o menos importante de Manassés, e eu sou o menor de minha família”. Diante do chamado, Gideão desfia uma seqüência de argumentos e reclamações. Faz as suas ponderações e Deus o ouve e responde.

3) DEUS TEM PACIÊNCIA CONOSCO:

No vers. 17, Gideão segue pedindo um sinal: “Peço-te que não vá embora até que eu volte e traga minha oferta e coloque diante de ti”. E o Senhor respondeu: “esperarei até você voltar”. Gideão foi para casa, preparou um cabrito, bolos, caldo e voltou. Quanto tempo para fazer tudo isto? A oferta é feita e Deus a aceita. Somente aí, Gideão cai em si.

4) DEUS NOS PERMITE PROVÁ-LO:

Gideão já havia derrubado os altares de Baal e estava cheio do Espírito Santo. No entanto, nos vers. 36 a 40, faz mais duas provas para seguir em frente na sua missão para libertar o povo.

5) DEUS NOS DÁ ESTRATÉGIA PARA  A VITÓRIA:

No capítulo 7, Deus orienta a Gideão para a seleção de seus soldados. De 32 mil foram selecionados 300! Estes 300 ganham uma tocha, um vaso e uma corneta. Cercam o inimigo e vem a vitória.

6) DEUS NOS ANIMA PARA A BATALHA:

“Se você está com medo de atacá-los, desça ao acampamento com o seu servo Pura e ouça o que estiverem dizendo. Depois disso você terá coragem para atacar” (Juízes 7.10 e 11). No versículo 15, após ouvir o sonho do midianita, Gideão adorou ao Senhor!!!

7) DEUS NOS PERMITE TRABALHAR EM PARCERIA COM ELE:

“Assim Gideão chamou dez dos servos e fez como o Senhor lhe ordenara. Mas, com medo de sua família e dos homens da cidade, fez tudo de noite e não durante o dia” (Juízes 6.27).

“Então o Espírito do Senhor se apoderou de Gideão, e ele, com toque de trombeta, convocou os abiezritas para segui-lo. Enviou mensagem a todo o Manassés, chamando-os  às armas, e também a Aser, a Zebulom, e a Naftali, que também subiram ao seu encontro” (Juízes 6.34 e 35).

8) DEUS TRAZ PAZ PARA À NOSSA VIDA:

“Assim Midiã foi subjugado pelos israelitas, e não tornou a erguer a cabeça. Durante a vida de Gideão a terra desfrutou paz quarenta anos” (Juízes 8.28).

Querida Igreja, Deus conhece nossa humanidade, limitações, temores e inabilidades. No entanto, ele usa tudo o que somos e o que temos para abençoar e libertar vidas. É assim, que precisamos caminhar!

Que Deus assim nos abençoe!

Pr. Reinaldo Kahakura

Mensagem pregada na IEVY em 10/5/2009.