OLHAR PARA JESUS SALVA, CURA E LIBERTA!

O FAROL nº 1.125 – De 24 a 29 de maio de 2009

“Da mesma forma como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do homem seja levantado, para que todo o que nele crer tenha a vida eterna” (João 3.14 e 15, referência a Números 21.4 a 9).

O propósito desta Pastoral é reafirmar que Jesus é o remédio que Deus nos dá de graça para nossa doença do pecado, e que nossa obediência e fé, ao olhar para Jesus, salva, cura e liberta!

O povo de Israel tinha sido liberto da escravidão do Egito e estava no deserto a caminho da posse de sua terra prometida, Canaã! O deserto é a região entre Egito e Canaã, lugar difícil de suportar o sol causticante, de alta temperatura durante o dia (+40ºC) e baixa à noite (abaixo de 0ºC), falta de vegetação e água, carência de alimento, poeira constante, monotonia.

O povo perdeu as esperanças, se tornou impaciente e se rebelou contra Deus e contra Moisés: “Por que vocês nos tiraram do Egito para morrermos no deserto? Não há pão! Não há água! E nós detestamos esta comida miserável” (Números 21.5). Não podemos perder a esperança!

O pecado da rebelião ou rebeldia é muito grave. É comparado ao pecado de feitiçaria: “Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria. Assim como você rejeitou a palavra do SENHOR, ele o rejeitou como rei” (1 Samuel 15.23). Crente rebelde é comparado a feiticeiro!

Quando há murmurações, queixumes, fofocas, reclamações descabidas, inconformismo, impaciência, a rebeldia ou rebelião está instalada no meio do povo.

A visão de Deus para Igreja em células não tem volta! As murmurações, as fofocas contra esta visão só vão retardar a bênção de Deus sobre a vida dos murmuradores, fofoqueiros e, por conseqüência, sobre a Igreja toda!

1. A REBELDIA OU REBELIÃO É PECADO:

“…Mas o povo ficou impaciente no caminho e falou contra Deus e contra Moisés, dizendo: Por que vocês nos tiraram do Egito para morrermos no deserto? Não há pão! Não há água! E nós detestamos esta comida miserável!” (final do v.4 e v. 5).

O pecado tem sempre duas direções, no mínimo: contra Deus e contra alguém – contra o próximo, contra um parente ou familiar, contra a liderança da Igreja, contra a chefia no trabalho.

2. MURMURAÇÃO É REBELDIA:

É a manifestação de inconformismo com alguma coisa ou pessoa. É a impaciência, a desconfiança, a cegueira, a falta de fé e de perspectiva. É a choradeira sem razão muitas vezes.

Temos que ter cuidado em ter saudades da velha vida! Foi bom para o povo de Israel ter saído do Egito. O problema é que não se esqueciam das panelas de carne, dos repolhos, das cebolas, dos porros, dos pepinos: “Quem dera a mão do SENHOR nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!”  (Êxodo16.3).

Ter saudade ou recordações do tempo de fartura não é pecado! O que é pecado é a murmuração, os queixumes, as reclamações infundadas do tempo ou da situação anterior!

Os israelitas preferiam as “panelas de carne” da escravidão e do inferno, a comer o “pão do céu” da libertação da escravidão e de estar no centro da vontade de Deus.

Irmão, irmã: se Você está passando dificuldades ou provações depois de sua conversão, não murmure ou não reclame! Continue sua caminhada porque a bênção da nossa Canaã está chegando, além de que a vida eterna é o que há de mais precioso!

3. DESPREZO  É  REBELDIA:

Desprezo é descontentamento, é ingratidão, é perda de memória, é esquecimento, é falta de reconhecimento de favor recebido: “…E nós detestamos esta comida miserável!” (v5).

4. A MURMURAÇÃO E A INGRATIDÃO SÃO ATITUDES CONSCIENTES:

Murmuração e ingratidão ofendem a Deus! Toda ofensa contra Deus é pecado. Por isso merecem a punição de Deus! O princípio estabelecido por Deus é: “Aquele que pecar é que morrerá. O filho não levará a culpa do pai, nem o pai levará a culpa do filho. A justiça do justo lhe será creditada, e a impiedade do ímpio lhe será cobrada!” (Ezequiel 18.20).

Deus cumpre a Sua Palavra: “…a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça” (Romanos 1.18).

O pecado gera a separação de Deus pela morte eterna, que é o pior castigo que o homem pode sofrer: “Não há distinção, pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Romanos 3.23).

As cobras ou serpentes venenosas, mortíferas que surgiram no meio do povo de Israel, eram instrumentos de Deus para punição do pecado de murmuração, de ingratidão e de descontentamento do povo para com Deus: aquele que fosse ferido (ou picado) pelas serpentes morria instantaneamente!

Queridos, há pessoas sofrendo em nosso meio picadas pela serpente do pecado da murmuração e da ingratidão a Deus, aos pais, à igreja! O remédio é olhar para Jesus e não criticar os líderes!

5. A  FRAQUEZA  DO  HOMEM  É A OPORTUNIDADE DE DEUS AGIR E ABENÇOAR  SUA  VIDA:

O povo reconheceu seu erro, seu pecado, se arrependeu e confessou: “Pecamos quando falamos contra o SENHOR e contra você. Ore pedindo ao SENHOR que tire as serpentes do meio de nós.  E Moisés orou pelo povo” (v.7). A pronta ação de Deus em nos abençoar decorre de Sua grande misericórdia, e do reconhecimento de nossa fraqueza.

É necessário ter consciência das próprias fraquezas. Quando reconheço que sou fraco, Deus vem em meu socorro e me fortalece: “Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte” (2 Coríntios 12.10).

O povo suplicou a Moisés que orasse a Deus e Moisés orou: “Ore pedindo ao SENHOR que tire as serpentes do meio de nós. E Moisés orou pelo povo!” (v.7). Foi o caminho para a ação de Deus!

A Graça de Deus se manifestou na confissão e no arrependimento. Deus não retirou as serpentes que estavam causando a mortandade, mas proveu o remédio para neutralizar ou curar seu efeito: “Faça uma serpente e coloque-a no alto de um poste; quem for mordido e olhar para ela viverá. Moisés fez então uma serpente de bronze e a colocou num poste. Quando alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, permanecia vivo!” (vs. 8 e 9).

6. PARA CADA PROBLEMA NOSSO,  DEUS  TEM  UMA  SOLUÇÃO:

“O SENHOR disse a Moisés: Faça uma serpente e coloque-a no alto de um poste; quem  for  mordido  e  olhar  para  ela  viverá” (v. 8).

O problema passou a existir por causa da murmuração do povo: cada pessoa mordida por uma das milhares de serpentes morria instantaneamente. O processo de cura se baseava na pronta obediência: o mordido pela serpente tinha que olhar para a serpente de mental colocada no alto do poste e no meio do povo como provisão de Deus para a cura, que seria curado instantaneamente.

O ato de olhar para a serpente de metal colocada no alto de um poste era um tipo de “vacina”: Deus usou o símbolo da própria serpente como remédio para curar o ferido pelas serpentes.

Olhar fixo para a serpente era sinal de obediência e fé: trazia a lembrança da ira de Deus; e trazia à lembrança a oportunidade de arrependimento.

7. JESUS É O CUMPRIMENTO DESTA PROFECIA DO DESERTO PARA A HUMANIDADE  HOJE:

Jesus crucificado é o remédio de Deus para a cura do pecado: “Da mesma forma como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do homem seja levantado, para que todo o que nele crer tenha a vida eterna” (João 3.14-15).

Olhar para a Cruz de Jesus, com fé e obediência, SALVA, porque: (a) Lembra-nos de nosso pecado, de nossas murmurações, de nosso desprezo para com Deus, de nossa ingratidão e de nossa rebeldia; (b) Lembra-nos da oportunidade que Deus nos dá para o arrependimento e volta para Ele; (c) Lembra-nos da cura que Jesus Cristo opera na vida dos que crêem.

Jesus foi levantado na cruz para manifestar o Seu Amor para conosco e não somente para aplacar a ira de Deus.

Concluindo, queridos irmãos, gostaria de sugerir que você fizesse um exame na sua consciência e avaliasse se você não está sendo murmurador, inconformado, rebelde para com a própria vida, para com as coisas de Deus, para com a Igreja! Seja sincero!

A decisão de olhar para a serpente de metal, a fé ao olhar para a serpente de metal, a cura ao olhar com fé para a serpente de metal tinha que ser individual, pessoal: ninguém poderia fazer por outra pessoa. Assim também, o arrependimento, a confissão, a fé em Jesus, a Salvação igualmente são de caráter individual e pessoal; ninguém vai para o céu na “carona” de outro irmão!

O ferido tinha que olhar para a serpente de metal e não para si mesmo, nem para sua dor, nem para a serpente que o atacou; tinha que obedecer ao princípio: olhar para a serpente de metal!

Cada um tinha de olhar por si; não poderia fazê-lo por outrem. Assim é a salvação em Jesus!

Hoje é dia de salvação! Não olhe para seus problemas ou para os defeitos dos outros! Olhe para Jesus!

Que Deus assim nos abençoe.

Pr. Ageo Silva

Nota: Mensagem pregada na IEVY, no domingo 17/5/09.