PASTORAL: O PECADO OCULTO É CAUSA DE DERROTAS E FRACASSOS
O FAROL Nº 1161 – De 31.1 a 6.2.10

Josué 7

O propósito desta Pastoral é reafirmar que o pecado oculto, escondido, camuflado, não revelado e não tratado causa a retenção de bênçãos de Deus, os fracassos e as derrotas na vida do crente e da Igreja.

O povo de Israel vinha de grande vitória sobre a cidade de Jericó, Js 6, e estava caminhando para tomar posse da terra prometida por Deus, além do Jordão, depois de longa peregrinação pelo deserto por quase 40 anos. “Jericó estava completamente fechada por causa dos israelitas. Ninguém saía nem entrava.” (6.1)

Por isso Jericó se constituía em obstáculo na caminhada do povo de Israel: contornar a cidade pelo deserto seria uma volta muito longa e cansativa.

Como Israel não estivesse autorizado a atravessar a cidade, Deus orientou o líder Josué como destruí-la. Tinha que ser destruída! Ao ser destruída, Jericó se tornou marco de vitória para novas conquistas do povo e do exército de Israel.

Deus havia dado ordem aos israelitas que não levassem nada dos despojos de Jericó: só os objetos de ouro, prata, bronze e ferro deveriam ser levados e consagrados ao Senhor: “Mas fiquem longe das coisas consagradas, não se apossem de nenhuma delas, para que não sejam destruídos. Do contrário trarão destruição e desgraça ao acampamento de Israel. Toda a prata, todo o ouro e todos os utensílios de bronze e de ferro são sagrados e pertencem ao SENHOR e deverão ser levados para o seu tesouro”. (Js 6:18 e 19).

Despojos conservados com o povo se tornariam em ferida cancerosa, que se espalharia por todo  o povo de Israel, para matar e destruir a vida e roubar-lhes a vitória.

O próximo obstáculo na sua caminhada seria a pequena cidade de Ai, considerada insignificante pelos espiões israelitas. Na opinião dos espiões, dois a três mil soldados seriam suficientes para derrotá-la. Subestimaram o inimigo: “Sucedeu que Josué enviou homens de Jericó a Ai, que fica perto de Bete-Áven, a leste de Betel, e ordenou-lhes: “Subam e espionem a região”. Os homens subiram e espionaram Ai. Quando voltaram a Josué, disseram: “Não é preciso que todos avancem contra Ai. Envie uns dois ou três mil homens para atacá-la. Não canse todo o exército, pois eles são poucos” (v.3).

Com base no parecer dos espiões, Josué destacou e enviou 3000 soldados para destruir Ai, os quais foram derrotados, perseguidos e fugiram covardemente e 36 deles morreram.

Podemos extrair lições importantes deste episódio:

1ª) O orgulho da vitória de Israel sobre Jericó subiu à cabeça deles e lhes tirou o senso da prudência, da vigilância e da obediência a Deus;

2ª) O fato de ter recebido uma bênção ou uma vitória não pode permitir que se relaxe na vigilância, na obediência e na continuidade de busca incessante a Deus!

O problema que lhes veio em seguida foi pior: Deus não estava mais lutando por Israel!

Você poderá dizer: Mas o que tem a ver esse episódio da vitória e da derrota de Israel com a esta Igreja de hoje? Digo-lhe que tem tudo a ver: a Igreja é o Israel de Deus nesta Dispensação da Graça! Somos Seu povo a quem Deus libertou e verdadeiramente somos livres!

Vamos refletir sobre:

1. DEUS RETIRA OU RETÉM A SUA BENÇÃO QUANDO HÁ PECADO OCULTO E NÃO TRATADO NO MEIO DA IGREJA

O pecado de um homem, Acã, envolveu, prejudicou toda a Nação de Israel. E prejudica toda a Igreja hoje!  “Mas os israelitas foram infiéis com relação às coisas consagradas. Acã… apossou-se de algumas delas. E a ira do SENHOR acendeu-se contra Israel.” (Js 7.1). Este Foram infiéis” é o mesmo que prevaricar (edição da bíblia ERA), que quer dizer faltar ao dever; faltar, por interesse ou por má fé, aos deveres de seu cargo, do seu ministério. A ordem do Senhor era clara aos israelitas: “Mas fiquem longe das coisas consagradas, não se apossem de nenhuma delas, para que não sejam destruídos. Do contrário trarão destruição e desgraça ao acampamento de Israel.” (Js 6.18). Deus tomou a desobediência coletiva pela unidade: “Israel pecou. Violou a aliança que eu lhe ordenei. Apossou-se de coisas consagradas, roubou-as, escondeu-as e as colocou junto de seus bens.” (7.11)

A Igreja sofre fracassos e derrotas quando há pecado oculto, camuflado, escondido, não revelado, não tratado no meio do povo de Deus. Os cultos são amarrados, o louvor se arrasta, há queixumes, muitos manifestam vontade de parar com tudo, de desistir, de ir embora, de sair da Igreja, as orações não sobem ao Trono de Deus!

O pecado oculto, camuflado, escondido, não revelado, não tratado não acontece de repente.  Há todo um processo progressivo e premeditado. Primeiro é concebido no coração e depois na ação. Veja como exemplo o adultério de Davi com Base Seba. Davi teve tempo para interromper a ação pecaminosa e não o fez.

Vejamos os passos da derrota de Acã, de Israel, muito semelhantes ao que acontece com a Igreja nos dias de hoje: “Acã respondeu: “É verdade que pequei contra o SENHOR, o Deus de Israel. O que fiz foi o seguinte: quando vi entre os despojos uma bela capa feita na Babilônia, 2 quilos e 400 gramas de prata e uma barra de ouro de 600 gramas, eu os cobicei e me apossei deles. Estão escondidos no chão da minha tenda, com a prata por baixo”. (vs.20 e 21).

Passos:

(1) Cobiçou - “quando vi entre os despojos… eu os cobicei” – os olhos são a porta do pensamento e do coração! Há um ditado popular que diz: “O que os olhos não vêm, o coração não sente!”

(2) Tomou posse indevida – furtou, roubou “e me apossei deles”. A fornicação (relações sexuais entre solteiros), o adultério (relações sexuais entre pessoas casadas, ou uma delas pelo menos), a não entrega do dízimo são tomada de posse indevida! Tomar posse de algo ou de alguém que não nos pertence (ou ainda não nos pertence!) é pecado.

(3) Ocultou, escondeu – trouxe o pecado para dentro de casa “Estão escondidos no chão da minha tenda, com a prata por baixo”. Dá para esconder o pecado? – “Deus é Espírito!…” Não há barreiras para a visibilidade, para o conhecimento de Deus!

Adão e Eva quando desobedeceram a Deus (Gn 3), pecaram. Sua atitude foi de  se esconder de Deus entre arbustos… Tem cabimento uma atitude dessa?

Ananias e Safira resolveram vender uma propriedade e entregar o produto da venda ao Senhor através dos apóstolos-líderes da Igreja, mas mentiram ao Espírito Santo e foram mortos de maneira fulminante: A intenção de dar a Deus era boa, mas Deus pesou Sua mão por causa do pecado oculto da mentira. Não pode haver comunhão entre o Deus Santo e o Homem em pecado: “Por isso os israelitas não conseguem resistir aos inimigos; fogem deles porque se tornaram merecedores da sua destruição. Não estarei mais com vocês, se não destruírem do meio de vocês o que foi consagrado à destruição.(v.12).

O pecado oculto, camuflado, escondido, não revelado, não tratado causa a retenção de bênçãos de Deus, os fracassos e a derrota na vida espiritual do crente e da Igreja.: “Há coisas consagradas à destruição no meio de vocês, ó Israel. Vocês não conseguirão resistir aos seus inimigos enquanto não as retirarem.” (v.13).

2. AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO OCULTO, CAMUFLADO, ESCONDIDO, NÃO REVELADO, NÃO TRATADO SÃO IMEDIATAS E ABERTAS

A desobediência mina as forças do homem porque pesam contrariamente na sua consciência: “Mas, se vocês não fizerem isso, estarão pecando contra o SENHOR; e estejam certos de que vocês não escaparão do pecado cometido.” (Nm 32.23).

Não adianta encobrir, fugir, esconder-se. Deus o sabe tudo de nós e onde nós estamos: “Sim, pois são muitas as nossas transgressões diante de ti, e os nossos pecados testemunham contra nós.

As nossas transgressões estão sempre conosco, e reconhecemos as nossas iniqüidades: rebelar-nos contra o Senhor e traí-lo, deixar de seguir o nosso Deus, fomentar a opressão e a revolta, proferir as mentiras que os nossos corações conceberam.” (Is 59.12 e 13). O exército de Israel não teve forças para resistir aos ataques e à perseguição do exército de Ai – caíram à espada, viraram as costas e fugiram covardemente – foi uma vergonha nacional! “Por isso cerca de três mil homens atacaram a cidade; mas os homens de Ai os puseram em fuga, chegando a matar trinta e seis deles. Eles perseguiram os israelitas desde a porta da cidade até Sebarim, e os feriram na descida. Diante disso o povo desanimou-se completamente.” (vs 4 e 5).

Deus retirou Sua benção sobre o povo porque Ele não admite convivência e nem a conivência com o pecado: “Por isso os israelitas não conseguem resistir aos inimigos; fogem deles porque se tornaram merecedores da sua destruição. Não estarei mais com vocês, se não destruírem do meio de vocês o que foi consagrado à destruição” (v12). É a pior situação para o crente e para a Igreja, ficar sem o amparo, a bênção, a proteção, a cobertura de Deus: “Se o Senhor não estivesse do nosso lado; que Israel o repita: Se o Senhor não estivesse do nosso lado quando os inimigos nos atacaram,  eles já nos teriam engolido vivos, quando se enfureceram contra nós;  as águas nos teriam arrastado e as torrentes nos teriam afogado;  sim, as águas violentas nos teriam afogado! Bendito seja o Senhor, que não nos entregou para sermos dilacerados pelos dentes deles.Como um pássaro escapamos da armadilha do caçador; a armadilha foi quebrada, e nós escapamos.O nosso socorro está no nome do Senhor, que fez os céus e a terra”. (Sl 124).

É loucura querer brincar de “esconde-esconde” com Deus ou zombar dEle: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.” (Gl 6.7). Deus é amor, mas também é Justo Juiz: “Pois conhecemos aquele que disse:“A mim pertence a vingança; eu retribuirei”; e outra vez: “O Senhor julgará o seu povo” Terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo!” (Hb 10.30 e 31). Encobrir o pecado é optar pelo fracasso e pela derrota na vida: “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia”. (Pv 28.13).

Você precisa de mais base bíblica para a confissão do seu pecado? Para pecar não teve vergonha, não deu importância aos princípios da Palavra para sua vida. Para consertar com Deus fica todo envergonhado e armado de argumentos! “Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” (Sl 51.17)

3. DEUS TEM O REMÉDIO PARA A SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO PECADO

Assim como o pecado é um processo, a solução do pecado também. Começa com o reconhecimento da culpa e do pecado, segue-se o arrependimento e a chave está na CONFISSÃO: “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” (do Senhor – Pv 28.13). Misericórdia é não receber de Deus o castigo que merece. Graça é receber de Deus o favor que não merece.

Depois do reconhecimento da culpa, do arrependimento e da confissão, acontece o perdão e o passo seguinte é a santificação: “Vá, santifica o povo! Diga-lhes: Santifiquem-se para amanhã…” (v13). Santificação é separação do pecado para Deus, para que Deus possa operar livremente no meio do povo com vitórias. Santificação é processo constante, dinâmico e crescente do Espírito Santo em nossa vida, pela Palavra assimilada.

A purificação dos pecados vem da confissão, precedida de reconhecimento do pecado e arrependimento dele – 1 Jo 1.9: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é Fiel e Justo para perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”

É promessa de Deus a purificação de nossos pecados: “Embora os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; embora sejam rubros como púrpura, como a lã se tornarão” (Is 1.18).

Concluindo, irmãos, não há nada oculto diante de Deus. Um dia será revelado. Não haverá prosperidade na vida em que há pecados encobertos, em todos os sentidos. Mesmo que aparentemente esteja havendo prosperidade material, não será duradoura! A solução é o arrependimento e a confissão a Deus. Todo o povo e exército de Israel foram derrotados por causa do pecado da desobediência de um só homem!

Paulo escreveu aos romanos: “Não se pode comparar a dádiva de Deus com a conseqüência do pecado de um só homem: por um pecado veio o julgamento que trouxe condenação, mas a dádiva decorreu de muitas transgressões e trouxe justificação. Se pela transgressão de um só a morte reinou por meio dele, muito mais aqueles que recebem de Deus a imensa provisão da graça e a dádiva da justiça reinarão em vida por meio de um único homem, Jesus Cristo. Conseqüentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos.” (Rm 5.16 a 19).

Hoje é dia de conscientização, de reconhecimento de culpa, de restauração, de purificação, de arrependimento e de confissão!

Hoje é dia de Perdão e não de punição!

Que Deus assim nos abençoe.

Pr. Ageo Silva

NOTA: Mensagem pregada na IEVY no domingo, 24.1.10.